Pingbacks e Trackbacks – Guia para WordPress

Você já está com seu site WordPress funcionando e você vê a notificação que recebeu um comentário. Fica todo(a) feliz, mas quando vai ver:

Aceitar pingbak?

E você fica se perguntando, o que será isso?

Pois então, eu tive essa mesma questão há uns anos quando comecei a mexer no WordPress e, infelizmente, não é uma coisa tão simples de entender se vale ou não a pena.

Nesse artigo, quero te explicar um pouco sobre o que são Pingbacks e Trackbacks no WordPress e quando vale a pena utilizá-los.

O que é um trackback

Vamos começar com o Trackback pois vai ser mais simples de explicar o pingback.

No WordPress, um trackback é um recurso que você pode utilizar para informar outro blog manualmente que você fez um artigo que tem um link para ele.

No fundo, esse é um recurso que ajuda a comunidade a crescer em conjunto. É como se você estivesse falando para quem escreveu o post cujo está linkando:

“Opa, gostei do seu conteúdo e estou criando um link para ele no meu próprio artigo. Inclusive, dá uma olhada pois pode ser algo que te interessa.”

Na página de criação do seu post no WordPress você pode informar a lista de URLs que deseja informar como trackback manualmente.

O que é Pingback

Assim como o Trackback, o Pingback no WordPress é uma forma de notificar um outro site ou blog também feito no WordPress que há um novo link para seu site.

A diferença é que o Pingback é feito automaticamente. Ou seja, você não informa manualmente as URLs que está linkando mas sim deixa o WordPress fazer isso automaticamente.

Muitas vezes acabamos descobrindo que esse recurso existe porque uma série de links spam aparecem para nosso site. O que não até nos faz relacionar esse recurso com algo negativo.

No entanto, ele é recurso interessante pois você pode começar a criar o relacionamento com outros blogs e crescer juntos linkando um o outro.

Quando você é linkado por outro blog, você pode aceitar ou não aquele pingback.

Quando você o aceita, no final do seu post aparece um link para o artigo original que fez o link para você. Caso não aceite, nada muda em seu site.

Como desabilitar os Pingbacks no WordPress

Os Trackbacks e Pingbacks, por padrão, estão habilitados no WordPress. Porém, você pode desabilitá-los de forma simples na área de Configurações > Leitura no seu painel administrativo.

Pingback e trackback no WordPress

Ao desativar a opção “Permitir avisos de links de outros blogs (pingbacks ou trackbacks) em novos posts, você desabilita a funcionalidade no seu site.

Também, você pode fazer isso individualmente em cada post para ter um controle mais independente.

Quando usar os Pingbacks?

Algo que eu sempre fiquei confuso é com relação a quando utilizar esse recurso em meus blogs.

Para isso, vou comentar alguns pontos a favor e outros contra.

Pontos a favor

  • Se você aceita um pingback interessante, está aumentando a quantidade de informações e recursos interessantes para seus leitores.
  • Se o pingback vem de um site mais famoso, você está legitimando ainda mais o seu conteúdo dizendo: Olha só, esse pessoal aqui fez um link para meu site.
  • Ajuda com o SEO quando a outra pessoa aceita o seu pingback ou trackback.
  • Cria um relacionamento bacana com outro blog que pode resultar em mais parcerias e links.

Pontos contra

  • Frequentemente é abusado por spam. Então é importante sempre filtrar aquilo que não é um link legítimo.
  • Se não é devidamente filtrado, pode encher de links para sites estranhos e piorar sua legitimidade.
  • Toma tempo ficar filtrando os vários pingbacks e trackbacks em busca daqueles que são realmente legítimos.
  • Seu site cria pingbacks automáticos para seus próprios artigos, o que não necessariamente é legal.

Conclusão

Pingbacks e Trackbacks são um recursos muito interessantes quando usados de forma correta. Toma sim um tempo maior na gestão do seu blog ou website, mas pode trazer benefícios muito importantes para o seu crescimento.

Ficou ainda alguma dúvida sobre esse tópico? Me conta nos comentários e continuamos a discussão por lá.

Divirta-se!

Gostou do artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
André Lug

André Lug

Apaixonado por design e desenvolvimento de websites. De vez em quando gosta de escrever sobre produtividade, como é ser um freelancer e algumas reflexões da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *